Seu restaurante está preparado para o delivery? Confira o guia!

20 de abril de 2020
PUBLICADO EM blog
20 de abril de 2020 Marcelo Rama

O novo Coronavírus, (COVID-19) já é uma realidade. Em todos os continentes, as pessoas estão adotando o isolamento social para evitar a propagação da pandemia e se manterem saudáveis e seguros. Para tanto, é interessante que diversos nichos do mercado também se adaptem a essa realidade, como é o caso dos bares, lanchonetes e demais estabelecimentos do ramo gastronômico. E caso você tenha se visto obrigado a tomar tais medidas, não se preocupe. Como uma forma de sobreviver ao período conturbado, a solução adotada por empresários de todos os portes é o chamado delivery para restaurantes.

Moderno criativo, o sistema de delivery serve para substituir as mesas vazias dos negócios por novos pedidos. Porém, não basta somente implantar essa ideia em seu negócio — para conquistar um bom resultado, é fundamental realizar um planejamento bem elaborado, considerando pontos relevantes e, claro, deixando a criatividade falar mais alto para que a sua marca consiga se destacar em meio a concorrência.

Estamos aqui para ajudá-lo a conquistar somente o melhor. Exatamente por essa razão, decidimos criar esse post completo, com todas as informações necessárias sobre o delivery para restaurantes e quais os caminhos que devem ser seguidos para aumentar os seus acertos. Ficou interessado? Então, continue acompanhando a leitura e anote as nossas dicas valiosas!

Como a crise do Coronavírus impactou o segmento de bares e restaurantes?

Na China, em dezembro de 2019, foram detectados os primeiros casos do novo Coronavírus — uma doença de cunho infeccioso, causada por um vírus e que, entre as suas complicações, pode promover problemas respiratórios e bem parecidos aos da gripe. Tosse, febre, coriza e, em situações mais graves, o indivíduo ainda corre risco de vida.

Não demorou muito até que o problema se alastrasse e começasse a atingir outros países. Itália, Espanha, França e Estados Unidos são alguns daqueles que lideram o ranking dos locais com maior concentração de casos. Infelizmente, o Brasil também não ficou para trás. Desde fevereiro, diversas pessoas foram acometidas por essa complicação — e os números só vêm aumentando.

Diante desse cenário, os governos estaduais e prefeituras de diferentes cidades brasileiras, resolveram adotar métodos exclusivos para evitar a propagação da doença. Como exemplo, podemos destacar o cuidado redobrado com a higiene, especialmente das mãos, e o isolamento social.

Assim como o nome já revela, este último método consiste em manter boa parte da população em suas respectivas residências — indo às ruas somente para realizar compras no mercado, na farmácia ou em situações emergenciais. Ou seja, todo e qualquer estabelecimento que não seja um supermercado ou uma drogaria, precisou fechar as suas portas. Complicado, não é mesmo?

Donos de restaurantes, bares e lanchonetes sentiram fortemente essa mudança. Sem aviso, esses empreendedores tiveram que dispensar os seus funcionários e encarar uma nova realidade. É claro que, por conta de todas essas transformações, esses locais sofreram alguns impactos — nada agradáveis. A seguir, contamos um pouco sobre os principais deles.

Queda de faturamento

Sem dúvida, a queda no faturamento foi a grande mudança que os donos de bares, lanchonetes e restaurantes enfrentaram nos últimos meses. Para se ter uma ideia, de acordo com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), somente na cidade de Campinas, interior de São Paulo, o movimento desses estabelecimentos caiu 90% — fato este que, com certeza, comprometerá os seus lucros pelos próximos meses.

Redução de equipe

Se, de um lado, o fluxo de um empreendimento sofre uma queda brusca, do outro, a situação continua não sendo nada favorável. Para evitar grandes prejuízos ou, até mesmo, situações de falência, a maioria dos empreendedores decidiu realizar demissões de alguns funcionários.

Ainda de acordo com o levantamento citado no tópico anterior, a previsão é que a cidade de Campinas sofra até 30 mil desligamentos ao longo desse período — até então, um tanto imprevisível.

Necessidade de adaptar as atividades

Em toda crise, a regra é clara: para não ser engolido pelo problema, é preciso se reinventar. É exatamente isso o que muitas empresas estão fazendo. Agora, os restaurantes de todos os nichos e portes estão adaptando o funcionamento de toda a equipe — reduzindo cargas de trabalho, implantando rodízio de funcionários, entre demais soluções.

Existem também outras transformações, desenvolvidas para que os clientes continuem sendo atendidos, mas de um modo diferenciado. As opções de delivery e o famoso take-away (pedidos para retirar e levar) são as que mais se destacam. Isso sem contar os seus canais de comunicação que, desta vez, estão 100% digitais, otimizados e preparados para receber a clientela.

Como implantar o serviço delivery em um restaurante?

O modelo de delivery para restaurantes já fazia parte de nosso cotidiano. Diariamente, seja no almoço ou no jantar, muitas pessoas tinham o costume de realizar pedidos em seus estabelecimentos gastronômicos preferidos, garantindo assim, que pratos deliciosos chegassem quentinhos e rapidamente na porta de suas casas. Com o surgimento do novo Coronavírus, esse sistema só se intensificou.

Nas últimas semanas, bares, lanchonetes e demais negócios resolveram fechar as suas portas, mas manter a cozinha funcionando para poder continuar servindo os consumidores, além de, claro, evitar que o orçamento zere no fim do mês.

Os marinheiros de primeira viagem, porém, podem desconhecer como esse mecanismo de delivery funciona. Como dar o primeiro passo? O que avaliar antes de elaborar um cardápio digital? Abaixo, elencamos algumas dicas exclusivas que guiarão você nessa jornada. Anote!

Entenda o mercado

O primeiro passo para adotar o sistema de delivery para restaurantes é, de fato, analisando as minuciosidades do mercado. Conforme com os entendidos no ramo de food service, o aumento das entregas em domicílio está cada vez mais intenso, permitindo que os empresários e gestores consigam desfrutar melhor das possibilidades desse novo mercado.

O melhor caminho para colher bons frutos, é analisar o seu público-alvo, as suas necessidades e dificuldades, os horários ideais para prestar esse atendimento e por aí em diante. Com isso, ficará fácil estabelecer uma modalidade eficiente e que não prejudique a sua imagem em meio a concorrência.

Reorganize os processos internos

Assim que estiver decidido a apostar no delivery para restaurantes, chega o momento de reorganizar os seus processos internos. Caso não saiba, essa opção de atendimento, mesmo durante a crise, pode fazer com que as suas vendas aumentem de forma significativa — ainda que o seu negócio não tenha crescido fisicamente.

Em outras palavras, a sua cozinha continuará apresentando o mesmo tamanho, mas precisará trabalhar em dobro para suprir a demanda. Sendo assim, é sempre importante traçar um planejamento detalhado, delimitando o número máximo de entregas que você conseguirá fazer por dia. Se necessário, e de acordo com a procura do público, também é válido aumentar o número de profissionais atuando em cada etapa de produção.

Conte com uma boa equipe de entrega

Assim que conseguir manter os seus processos devidamente alinhados, comece a analisar com atenção toda a equipe. Para evitar atrasos ou, até mesmo, não conseguir fazer as entregas corretamente aos clientes, é interessante considerar a função de todos — desde o cozinheiro até o entregador.

A recomendação é também eleger um funcionário para atuar como operador. Em resumo, aquela pessoa responsável por anotar os pedidos, atender o telefone, acompanhar o sistema e cuidar de toda a logística de entrega. É fundamental que o seu perfil seja de alguém muito comprometido, organizado e que não deixe os detalhes passarem despercebidos.

Com essa etapa concluída, vale contar com um bom time de entregas. Você pode, por exemplo, contratar entregadores fixos, ou então, terceirizar esse serviço, cadastrando o seu empreendimento em aplicativos próprios para essa finalidade.

Invista no embalamento adequado

Para que os seus pratos cheguem intactos na casa do cliente, é de extrema importância investir em uma embalagem adequada. São materiais individuais, capazes de manter a temperatura dos alimentos e não prejudicar a sua integridade.

Até porque, como você deve saber bem, não existe nada mais desagradável para um consumidor do que receber o seu pedido revirado, transbordando ou vazando em uma embalagem. Não quer oferecer esse tipo de experiência? Recorra aos modelos de plástico, papel ou demais materiais próprios para essa finalidade.

Lembre-se ainda de prezar pelo visual do pacote. Tanto a sacola, quanto a embalagem em si, devem apresentar uma estética agradável e, se possível, carregar o logotipo e as cores da marca. É um cuidado que fará toda a diferença no contato do público com o seu negócio.

E mais: junto ao prato, ofereça guardanapos e talheres. Em caso de saladas ou lanches, conte com sachês de condimentos, para que o consumidor possa temperar o produto de acordo com o seu paladar. Tal ação demonstra que o seu estabelecimento está devidamente preparado para esse modelo de entrega, além de se preocupar com a satisfação do público.

Priorize a higiene durante todo o processo

Antes da chegada do Coronavírus, prezar pela higiene durante todo o processo de entrega já era algo primordial. Agora, esse cuidado deve ser triplicado. Uma das medidas mais indicadas pelas organizações de saúde, é que toda a população lave corretamente as embalagens dos produtos consumidos e evite ao máximo o contato com os indivíduos infectados. Sem dúvida, o seu estabelecimento também deve seguir essas indicações.

Para não ser um disseminador do problema, é fundamental exigir que os colaboradores, independentemente do nicho de atuação, utilizem luvas e máscaras. Procure embalar corretamente os alimentos — em superfícies limpas, longe de resíduos ou produtos químicos.

Ao longo do preparo, ainda é interessante disponibilizar um frasco de álcool em gel, para que todos os envolvidos na entrega possam se proteger e higienizar as mãos com certa frequência.

Organize a cozinha e demais ambientes

Não é apenas a embalagem e o produto que precisam ser preparados adequadamente — toda a sua cozinha deve seguir as novas normas de higiene para evitar a propagação do Coronavírus. Nesse caso, existem algumas soluções práticas e eficientes que podem ser injetadas nos locais de preparo. Veja quais são elas:

  1. espalhe cartazes pela empresa. Esse cuidado ajuda a educar e informar os colaboradores a respeito da importância de manter a higiene em dia. Nesses informativos, dê dicas sobre como espirrar, tossir e lavar as mãos enquanto estiver no espaço de trabalho;
  2. distribua lenços e lixeiras. Adquira utensílios que facilitem o descarte de materiais e resíduos, sem que os seus funcionários sintam a necessidade tocar em suas superfícies ou de ter contato com outros membros da equipe;
  3. forneça álcool em gel 70% para que os colaboradores utilizem nos espaços de grande circulação de pessoas. Ainda é interessante disponibilizar água e sabão nos banheiros, pias e lavatórios;
  4. reforce o uso de equipamentos próprios para proteção individual. Esse cuidado precisa ser mantido em todas as etapas de produção. Luvas, óculos e máscaras são os mais utilizados;
  5. deixe as superfícies sempre limpas. De hora em hora, higienize mesas, balcões, tábuas e demais estruturas que são usadas no preparo dos pratos;
  6. facilite a ventilação. Se possível, deixe as portas de janelas dos cômodos abertas, ligando o ar-condicionado somente em último caso.

Adapte o cardápio

De acordo com o direcionamento do seu bar, lanchonete ou restaurante, será necessário adaptar o cardápio para conseguir fazer entregas em formato de delivery. Durante esse processo, é interessante analisar os pratos disponibilizados pelo seu negócio e se eles conseguirão chegar na casa do consumidor assim como são servidos na mesa do estabelecimento.

Caso for necessário, não pense duas vezes e faça algumas modificações nas refeições que são servidas. Em vez de oferecer refeições muito rebuscadas, por exemplo, considere preparar porções, acompanhamentos variados e demais alternativas que estejam de acordo com a proposta do seu negócio. Os pratos com muito molho ou que precisam ser consumidos imediatamente também merecem ajustes e um cuidado especial.

Para garantir uma experiência completa, não se esqueça de incluir bebidas e, quem sabe, até sobremesas no menu do delivery. Assim, você terá mais chances de lucrar e estimular o consumidor a realizar pedidos maiores.

Tenha um estoque organizado

De nada adianta seguir todas as recomendações anteriores se, no fim das contas, o seu estoque não é organizado. Quando os gestores não atentam a esse detalhe, eles correm o risco de não entregar os pedidos corretamente.. Ou pior: de servir pratos estragados ou com o gosto duvidoso. E aí, infelizmente, o resultado é um só — a imagem da sua marca ficará queimada para aquele consumidor.

Por isso, é sempre bom investir no planejamento. Comece elaborando uma planilha, com todos os itens que são necessários para o preparo das suas refeições. Em seguida, trace um cronograma, contendo a frequência de uso de cada um deles, os seus prazos de validade e de quanto em quanto tempo o seu estoque precisará ser reabastecido.

Ainda é válido ressaltar que, assim que adotar a modalidade do delivery para restaurantes, é provável que o número de pedidos cresça consideravelmente — detalhe este, que exigirá um aumento do seu estoque para as próximas semanas. Esteja preparado!

Que ferramentas auxiliam na otimização do serviço?

Além de investir em um belo planejamento, treinar a equipe e escolher as embalagens adequadas para a entrega dos pratos, os restaurantes de sucesso estão unindo as suas forças à tecnologia.

Com o avanço da internet e o aprimoramento de diferentes ferramentas, todo esse processo pode se tornar mais fácil e acessível, tanto para o próprio empreendimento, quanto para os seus clientes. No fim, todos saem ganhando!

Abaixo, conheça algumas dessas soluções incríveis e eleja aquelas que melhor conversam com a proposta do seu negócio.

Utilize a automação

Os sistemas de automação estão presentes na maioria das áreas do mercado — e com os restaurantes, não seria diferente. Assim que adotá-los, será possível otimizar toda a operação, desde a fase de controle de estoque, análise dos indicadores de venda ou atendimento ao cliente.

Tais mecanismos são ótimos para auxiliar na padronização das ações, garantindo um maior controle sobre as atividades que são realizadas dentro da sua empresa.

Mas não acaba por aí. Como consequência de toda essa praticidade, a automação permite que os empreendedores economizem os seus recursos, uma vez que não precisarão gastar tempo — e dinheiro — para prestar um bom serviço.

Quer um exemplo? Em se tratando do atendimento ao cliente, a automação pode atuar como um atendente virtual. Com a ajuda de ferramentas instaladas nos seus principais canais de comunicação, você conseguirá solucionar as dúvidas do público e agilizar diferentes processos. Tudo isso, sem que seja necessário contratar mais funcionários ou parar as suas tarefas para resolver esses problemas. Bem bacana!

Defina um modelo de entregas

Identificar quais as melhores formas de entrega para o seu negócio é um cuidado que não pode ser deixado de lado em um sistema de delivery. Para conseguir encontrar o caminho certo, a dica é analisar o que compensa mais: a contratação de um entregador exclusivo e fixo ou a terceirização de um profissional autônomo, disponibilizado por uma empresa especialista no assunto.

Em geral, as empresas terceirizadas são as que conseguem atrair mais a atenção dos empreendedores. Mas tudo dependerá do tipo de prato presente em seu cardápio, do perfil do seu público, do orçamento disponível para esse serviço e, inclusive, da localização do seu restaurante.

Durante a escolha, veja se a cobertura oferecida pelas duas alternativas conseguem suprir as necessidades dos seus consumidores, sem que a sua empresa ou o cliente fiquem no prejuízo.

Assim que definir a região que será atendida, você também precisará estabelecer uma taxa de entrega. O conselho? Não estipule um valor muito alto, caso contrário, é provável que a clientela se espante e considere o preço abusivo. Para pequenos empreendimentos, a recomendação é começar atendendo somente os bairros mais próximos, evitando fazer a entrega em toda a cidade e, logo, gastando mais.

Conte com uma boa plataforma

Como já diz aquela velha frase “quem não é visto, não é lembrado” — e essa máxima também vale para as empresas que atuam no ramo gastronômico. Recentemente, e com o advento dos aplicativos voltados para os smartphones, a maioria dos consumidores vêm realizando os seus pedidos por meio de plataformas on-line.

Tais canais são extremamente práticos, acessíveis e simples na hora de fazer um pedido — especialmente, quando falamos sobre o cliente moderno e que não deseja perder tempo entrando em contato com o estabelecimento.

A solução é eleger um app de delivery de sua confiança, com boa reputação no mercado e que esteja preparada para satisfazer as vontades do público. O iFood é um deles. Mas, de acordo com a cidade onde você atua, podem existir alternativas similares e que prestam o mesmo tipo de serviço.

Assim que adotar essa solução, será possível administrar toda a sua rede de contatos, se comunicar com o cliente de forma rápida, acompanhar o status das entregas e desfrutar de outras comunidades.

Vale ressaltar: os pedidos feitos pelo telefone, como tínhamos o hábito no passado, já não são a melhor saída. Empresas consolidadas no mercado vêm reduzindo essa possibilidade e investindo todas as suas fichas nos métodos atuais, seguros e com menor taxa de erros.

Bônus

A vantagem, é que muitas dessas plataformas permitem que os restaurantes disponibilizam o cardápio completo, façam promoções e ofereçam brindes ao público. Na hora de criar o seu cadastro, procure tirar boas fotografias de comida, detalhar bem os pratos e investir em uma linguagem que esteja de acordo com a sua marca.

Mude a forma de interagir com o público

Assim que você adotar o delivery para restaurantes, é interessante fazer outras adaptações no seu negócio. Uma delas, diz respeito à maneira de se comunicar com o público.

Com o cardápio disponível em aplicativos, é fundamental estabelecer uma comunicação facilitada com a sua audiência. Por isso, uma boa saída é estar presente nas suas redes sociais e, se possível, criar um número de WhatsApp exclusivo para dialogar com os consumidores.

Em toda conversa, procure seguir uma linguagem clara, objetiva e, claro, amigável — se colocando sempre à disposição para solucionar dúvidas e oferecer a melhor experiência possível aos seus parceiros. Já para intensificar a divulgação e a atração da audiência, as práticas de marketing digital também são excelentes e farão toda a diferença nesse processo.

Viu só? Após todas essas dicas, esperamos que tenha ficado fácil aprender como adotar a opção de delivery para restaurantes e conseguir driblar os problemas que aparecem ao longo do caminho. Assim que essa crise acabar, prossiga com essa forma de atendimento — afinal, todos precisamos nos adaptar às mudanças do mercado.

Estando mais presente em diferentes canais, será possível fazer com que a sua marca seja lembrada constantemente e, logo, mais pedidos comecem a chegar até o seu caixa. Estamos na torcida!

E caso tenha gostado dessas recomendações e queira acompanhar outros conteúdos relevantes como este, aproveite para seguir agora mesmo a DDWB no Facebook. Será um prazer contar com a sua presença. Até mais!