Personal Branding: tudo que você precisa saber sobre o tema

24 de agosto de 2020
PUBLICADO EM blog
24 de agosto de 2020 Marcelo Rama

Você já pensou em como se posiciona no mercado? Da mesma maneira que as corporações têm uma marca, capaz de impactar no sucesso dos negócios, as pessoas também têm uma imagem a zelar como profissional. Estamos falando do personal branding.

Essa percepção pode parecer um pouco confusa, mas de nenhuma maneira ela afeta a visão que as pessoas têm de você como ser humano. Na verdade, trata-se da construção de uma identidade, alinhada aos seus propósitos e que comunica melhor quem você.

Não pense que essa é uma estratégia restrita apenas aos profissionais de marketing. Todos podem desenvolver um bom personal branding. Quer entender tudo sobre o assunto? Leia o post completo!

O que é personal branding?

Podemos definir o personal branding como a gestão da marca pessoal, ou seja, o posicionamento assumido por você para transmitir a sua relevância e o que você tem a oferecer como profissional.

É comum que haja uma confusão entre esse conceito e marketing pessoal. Embora o marketing seja parte do processo de branding, não pode ser usado para defini-lo.

Enquanto o personal branding relaciona-se com o que você promete ao outro, o marketing pessoal é o que você utiliza para aumentar a sua visibilidade, no ambiente online e offline.

Para esclarecer melhor, vamos tomar como exemplo a comparação proposta por Juliana Saldanha, estrategista em Personal Branding. Ela cita marcas como Zara, Mcdonald’s e Starbucks e questiona qual pensamento ou sentimento vem à cabeça ao pensar nesses nomes. Trata-se de uma resposta emocional, que pode ser denominada como brand. A gestão dessa marca, é o branding.

Já quando falamos de estratégias de marketing, nos referimos às ações voltadas para satisfazer o consumidor, para que o produto ou serviço oferecido atinja o mercado e seja consumido.

Qual a importância do personal branding?

A criação de uma marca pessoal ajuda você a se posicionar diante de uma infinidade de outros profissionais que exercem a mesma atividade que você, destacando o seu diferencial e o que você é capaz de entregar como performance para qualquer empresa que o contratar.

Atualmente, com as redes sociais, esse posicionamento deixou de ser uma escolha. Ele acontece naturalmente, e pode ter mais força a ponto de ajudar a se colocar como uma opção viável no mercado, ser neutro ou apenas fraco.

Por meio da construção dessa marca pessoal, você comunica não só a sua contribuição como profissional, mas também seus valores e crenças. Para isso, é importante identificar o que você quer comunicar e como gostaria de ser reconhecido.

Vamos citar como exemplo o CEO de uma startup de tecnologia. Certamente, uma postura muito conservadora não contribui para a construção de um branding que se relacione com as atividades desse profissional, muito menos com a maneira com que ele age profissionalmente. Essa pessoa tem uma forte ligação com inovações e novas abordagens, o que deve ser trabalhado em sua marca profissional.

O aspecto mais importante da construção de um branding é como a sua imagem se relaciona com o exterior, ou seja, o que colegas, ex-chefes e clientes dizem sobre você e como percebem a sua postura profissional.

Lembre-se que a construção da marca profissional deve ser constante e feito a longo prazo.

Como fazer personal branding no LinkedIn?

O LinkedIn é a rede social mais indicada para conectar pessoas com objetivos profissionais. Embora muitos autônomos, principalmente os que trabalham com criação, usem outros espaços como o Facebook e o Instagram, o LinkedIn é o espaço mais apropriado para trabalhar a sua marca pessoal.

E por que podemos fazer essa afirmação? Bem, além de possibilitar a visibilidade das suas experiências e formação, é uma rede social muito eficiente para a geração de leads. Segundo levantamento feito pela Hubspot, o LinkedIn é 277% mais eficiente na atração de possíveis clientes do que outras redes como o Facebook e o Twitter.

Além disso, a rede permite a aquisição de novas conexões e favorece a expansão do networking, além de ajudar em uma recolocação no mercado. Dados divulgados pela publicação SHRM mostram que 90% dos recrutadores usam regularmente o LinkedIn.

Todos esses dados mostram como essa rede social pode ser bem aproveitada para a construção de uma forte marca pessoal, sendo um ponto de contato bem eficiente com outros profissionais e com empresas.

Para isso, é importante prestar atenção a alguns pontos que representem você, como usar boas fotos e um perfil bem trabalhado, que evidencie suas competências e mostre como o seu conhecimento pode ajudar uma empresa a alcançar os objetivos.

Faça um exercício de autoanálise e identifique quem você é como profissional. O que diferencia você dos outros, quais valores defende e como os colegas o enxergam. Pense também no que gostaria de mostrar e como isso se relaciona ao seu verdadeiro eu. A partir daí, comece a trabalhar esses conceitos no seu perfil do LinkedIn, destacando os pontos mais importantes com a ajuda de práticas recomendadas para a construção de um perfil consistente.

Lembre-se: você está em constante evolução. O seu personal branding deve acompanhar esse desenvolvimento.

Quais são as melhores práticas de personal branding no LinkedIn?

Selecionamos algumas ações que podem ser adotadas a fim de fortalecer a sua imagem profissional dentro da rede e construir um personal branding consistente e atrativo para os recrutadores.

Use uma foto profissional

Tenha cuidado na hora de escolher a foto para o LinkedIn. Se possível, produza uma especialmente para esse objetivo.

Use uma imagem clara, limpa e em alta resolução. Cuidado com fotos reveladoras ou que passam uma impressão não condizente com a postura que você quer vender profissionalmente.

Você não precisa estar necessariamente sério. Procure transmitir sua personalidade e profissionalismo e sorria, o que passa simpatia e encoraja pessoas a estabelecerem conexões com você.

Escolha uma boa imagem de fundo

É possível personalizar seu LinkedIn com uma boa imagem de fundo. Procure algo que acrescente à impressão que você quer passar nessa rede social. Pode ser algo relacionado à sua profissão, ou que fale sobre os valores que você acredita e defende.

Complete o seu perfil

Um perfil completo, com o uso de palavras-chave relacionadas ao seu nicho de atuação e todas as informações relevantes que traduzam a sua imagem profissional. Use bem a seção “Experiência” indo além das atividades exercidas e mostrando como você contribuiu com cada empresa pela qual passou, apresentando resultados.

Apresente também seus cursos e formações, além de trabalhos voluntários. Lembre-se que um bom perfil tem mais chances de ser encontrado e considerado durante uma busca feita por recrutadores e headhunters.

Marque as suas competências

Explorar as competências presentes no LinkedIn é uma maneira de destacar os seus conhecimentos e o que você pode oferecer para um próximo contratante. Muitas empresas fazem a busca por novos candidatos com a ajuda dessas marcações, que podem ser reforçadas pelos seus colegas de trabalho.

Inclua documentos e mídias

Aproveite esse espaço para linkar seus certificados, mostrando cursos que você pode frequentar e habilidades adquiridas. Também traga apresentações de trabalho com problemas que você solucionou, pesquisas interessantes, entre outros registros.

O LinkedIn permite o uso de slides, fotos, documentos e vídeos.

Faça o seu pitch

O pitch é uma apresentação rápida, que venda os principais benefícios de um produto convencendo potenciais clientes a acreditarem no negócio.

Pensando que o personal branding é a construção da imagem em cima de um produto, que no caso é você, vale a pena pensar em como você gostaria de abordar as pessoas na sua rede.

Esse espaço fica localizado logo abaixo das primeiras informações no cabeçalho (foto, nome e cargo).

Ao pensar nesse pitch, considere o que o diferencia dos demais e qual valor você pode trazer para uma empresa que decidir pela sua contratação.

Participe de grupos

Participar de grupos ligados à sua área de atuação é uma excelente maneira de evidenciar o seu perfil e aumentar a rede de contatos. Faça com que essa participação seja ativa, interagindo e comentando os posts de outras pessoas e, se possível, produzindo conteúdo relevante.

Uma boa dica é checar as informações estatísticas, entendendo um pouco mais das pessoas que estão no grupo e as informações que são interessantes para elas.

Busque recomendações

Converse com líderes e companheiros de trabalho, atuais e antigos, e troque recomendações no perfil. Esse pequeno texto ajuda a fortalecer a prova social, ou seja, ao ver o depoimento na página, um recrutador sentirá mais confiança nos seus atributos e perceberá que você pode ser uma excelente contratação.

Personalize a sua URL

O LinkedIn gera uma URL automaticamente, assim que você cria o seu perfil na rede. Porém, esse endereço é cheio de números que pouco ajudam na sua identificação.

A boa notícia é que você pode personalizar o endereço com seu nome, criando assim uma URL que conecte imediatamente a você, ajudando na localização do seu perfil e até nas buscas pelo Google.

Torne o seu perfil público

O LinkedIn é usado para que aumentar a rede profissional e passar uma boa imagem, substituindo o currículo em vários processos seletivos. Você não quer ter todo um trabalho de construção de branding que ficará escondido, não é mesmo?

Certifique-se que o seu perfil é público e pode ser encontrado em buscas pela internet ou usando a sua função como palavra-chave.

Quais erros de personal branding devem ser evitados?

A construção da marca pessoal não é tarefa fácil. Para ajudar nesse trabalho, destacamos aqui alguns deslizes comuns e que podem ser evitados.

Ignorar a mensagem de convite

Ao adicionar um contato no LinkedIn, muitas pessoas ignoram o campo de mensagens. Essa situação é um pouco pior quando se trata de um total desconhecido, alguém que ainda não faz parte do seu círculo de amigos e colegas, mas com um perfil interessante dentro do seu nicho profissional.

Enviar o pedido de conexão sem a mensagem soa muito impessoal e não traz motivos para que a pessoa aceite a sua solicitação. Faça uma pequena introdução e explique porque você quer que aquele profissional faça parte da sua rede de contatos, como pontos em comum, ou um conteúdo publicado que chamou a sua atenção, por exemplo.

Não revisar

Quando você está construindo o perfil no LinkedIn, é natural passar alguns erros gramaticais, ortográficos, ou até mesmo palavras que podem assumir outra conotação prejudicial.

Porém, negligenciar a revisão das informações é um erro grave e que atesta de maneira muito negativa à sua imagem nessa rede.

Reveja os dados após alterações ou inclusão de novos dados e, preferencialmente, revise todo o seu perfil de tempos em tempos a fim de encontrar algum detalhe que tenha passado despercebido e fazer atualizações.

Usar spams

Os spams já são uma prática bem desagradável em emails, incomodando com mensagens ou informações não solicitadas. No LinkedIn essa prática é ainda mais negativa e compromete muito a sua imagem como profissional.

Lembre-se que a ideia dessa rede é promover conexões relevantes e que interessem o público-alvo. Enviar mensagens padronizadas é o caminho mais curto para que as pessoas não vejam você com bons olhos.

Mentir 

Aumentar suas habilidades apenas para chamar a atenção definitivamente não é uma boa estratégia. Construir um personal branding não se trata de uma estratégia de marketing a todo custo, vendendo um profissional que você não é.

Procure mostrar a sua melhor versão, evidenciando suas qualidades e pontos positivos, sem exagerá-los ou usar dados irreais apenas para impressionar.

Como fazer networking e parcerias de maneira eficiente?

O primeiro intuito de uma rede social é ajudar pessoas a estabelecerem contatos e ligações. O LinkedIn traz essa possibilidade a nível profissional, tornando-se uma poderosa ferramenta para a construção de networking, apoiado por conexões e compartilhamento de conteúdos.

Enquanto você trabalha ou se preocupa em fazer novas conexões, certamente várias empresas e headhunters estão em busca de profissionais com as suas habilidades e experiência.

Para entrar em contato com esse grupo de interesse, vale a pena participar de grupos de discussão e comunidades ligados ao seu nicho de atuação, além de seguir corporações relevantes para o setor. Esses espaços são verdadeiros portais para conexões mais valiosas e que atendam aos seus interesses, além de novas oportunidades de trabalho.

Procure manter-se ativo nas discussões, sempre de maneira colaborativa e positiva. Compartilhe conteúdos, e sempre que possível, traga textos de sua autoria.

Outra maneira interessante de aumentar o network é fazer pesquisas por palavras-chave que sejam relevantes para você, buscando conexões que possam render contratações futuras ou que tragam conteúdos capazes de agregar bons conhecimentos.

Quais tipos de postagens são positivas e gera engajamento?

O LinkedIn não é apenas uma rede social voltada para interesses profissionais. É uma ferramenta poderosa para trabalhar o marketing de conteúdo, sendo que a marca (ou empresa) que será divulgada é você.

No entanto, como fazer isso? Essa estratégia de marketing baseia-se na produção de conteúdo de valor, que traga informações interessantes para que as pessoas se interessem por você e passem a enxergá-lo como um profissional capaz de agregar valor.

Com esse objetivo, observamos a importância de realizar postagens que ajudem na construção de uma imagem positiva. Reunimos aqui alguns tipos de conteúdos focados nesse objetivo.

Problemas relevantes para a sua rede

Antes de definir o que quer publicar, faça uma avaliação cuidadosa e entenda quem são as pessoas que você pretende atingir e em quais assuntos elas estão interessadas. Claro que isso varia de nicho para nicho. A partir desses dados, procure entender quais são os problemas que a sua rede de interesse enfrenta e possíveis soluções para esses obstáculos.

Uso da primeira pessoa

O que você está tentando vender ao apostar em uma estratégia de conteúdo no LinkedIn? A sua imagem e capacidade profissional, certo?

Por isso, é importante escrever sempre em primeira pessoa, como se estivesse conversando diretamente com um colega ou um grupo do trabalho. Essa abordagem gera um engajamento muito maior.

Quer um bom exemplo? Richard Branson, empresário britânico detentor da marca Virgin, costuma escrever seus posts sempre em primeira pessoa. Ele torna seus conteúdos mais próximos e convidativos, e com isso, consegue um excelente engajamento.

Publicação dos seus próprios artigos

Não há problema algum em compartilhar posts e conteúdos interessantes que seus contatos produziram. No entanto, se você quer alcançar um bom status dentro do LinkedIn, vale a pena escrever seus próprios artigos. Os níveis de engajamento são ainda maiores se você usar a própria ferramenta da rede para isso.

Ao se posicionar como produtor de conteúdo, você alcança um alto nível de influência na rede e consegue a atrair a atenção do seu público de interesse.

Histórias pessoais e próximas

Embora o LinkedIn seja uma rede profissional e que não abre espaço para as fotos da sua última viagem ou da formatura dos seus filhos, trazer histórias particulares que envolvam a sua trajetória é uma estratégia interessante para aproximar os contatos e promover engajamento.

Conte sobre a superação de um desafio, ou como determinada habilidade foi desenvolvida e ajudou a resolver um problema específico. Relacione experiências com o crescimento profissional para que a pessoa também possa usar esses insights e, ao mesmo tempo, tenha uma visão mais humana e empática sobre você.

Novidades e tendências

Apresente acontecimentos e tendências do mercado que você atua, com alguns apontamentos sobre o que deve acontecer em um futuro próximo, para que o leitor fique melhor informado e perceba a sua preocupação em trazer conteúdo relevante para a rede.

Fortaleça esses posts com números e fontes confiáveis de pesquisa, aumentando a consistência da sua publicação.

Dicas e tutoriais

Publicações sobre “como fazer” reúnem um grande público na internet e movimentam blogs. Hacks e tutoriais sempre chamam a atenção e agregam um conteúdo bem interessante, que pode ser facilmente aplicado e compartilhado.

Você não precisa “reinventar a roda” para esse tipo de postagem. Fale sobre uma ferramenta que o ajuda a produzir melhor, ou uma pequena mudança na rotina que trouxe mais qualidade de vida e impactou positivamente no seu desempenho.

Além de demonstrar generosidade, dividir esses conhecimentos fortalece muito a sua marca pessoal no LinkedIn.

Call to Action

Procure finalizar seus posts convidando o leitor a realizar alguma ação, como comentar se concorda ou não com o seu posicionamento, trazer alguma novidade sobre o assunto ou até mesmo compartilhar se achar o conteúdo relevante.

Essa tática ajuda a sua publicação a ter mais destaque na rede e incentiva as pessoas a participarem.

Quais postagens devem ser evitadas?

Sim, o LinkedIn deve ser aproveitado ao máximo para mostrar suas impressões e compartilhar informações interessantes para a sua rede. Porém, antes de apertar o botão de “Publicar”, é sempre bom fazer uma releitura e pensar se o conteúdo não se encaixa em alguma das situações que listamos abaixo.

Posts inflamados

Fazer uma postagem ou comentário raivoso pode ser um verdadeiro “tiro no pé”. Falar mal da antiga empresa ou colega de trabalho traz uma imagem bem negativa ao seu perfil, o que vai totalmente contra a construção de um bom personal branding na rede.

Tome cuidado com erros de português e termos tendenciosos, que abram margem para interpretações prejudiciais.

Conteúdos exclusivos da sua vida pessoal

Lembre-se de que o LinkedIn é voltado para uso profissional. Por mais que seja divertido falar do seu time de futebol, viagens e outras preferências, tente não abordar esses assuntos. Deixe esse tipo de discussão para o Facebook, que tem um viés mais particular.

Publicações apenas para busca de emprego

A ideia principal de uma rede social é estabelecer conexão entre as pessoas. O LinkedIn é um ótimo espaço para ampliar o network e desenvolver um relacionamento com pessoas do seu nicho de trabalho, e deve ser aproveitado para isso.

Publicações voltadas apenas para recolocação no mercado do trabalho tendem a ser ignoradas se você não conseguiu construir conexões na rede, por meio de bons conteúdos, troca de ideias e aprendizagem mútua.

Apresentamos aqui um panorama bem completo sobre o personal branding e o que você pode fazer para desenvolver a sua marca pessoal em redes como o LinkedIn. Em tempos de grande competitividade, é importante usar esses espaços para apresentar seus diferenciais e mostrar como o seu profissionalismo pode fazer toda a diferença para a empresa que decidir pela sua contratação.

Quer receber mais conteúdos como esse? Aproveite para seguir a página da DDWB no Facebook e acompanhar todas as nossas postagens.