Plataforma de ecommerce: tenha mais estrutura e interação com o marketplace

1 de outubro de 2018
PUBLICADO EM blog
1 de outubro de 2018 Marcelo Rama

O comércio online vem se desenvolvendo de forma sustentada. Segundo medição da Serasa Experian, em 2017 o e-commerce brasileiro cresceu 12% e a previsão para 2018 é de elevação em 15%. Para se ter uma ideia de valores, em 2011 o faturamento foi de R$ 18,5 bilhões. Já em 2017, mais de R$ 60 bilhões.

Esses números e expectativas despertam a atenção de empreendedores. A cada dia surgem novas lojas, marcas e empresas a fim de capturar um pouco dessa fatia do bolo.

No entanto, algumas definições são extremamente importantes e influenciam nos resultados gerados. Um desses pontos é a plataforma de e-commerce, já que ela será a base de criação do seu comércio e pode ser um limitador dos ganhos.

Então, para lhe ajudar a entender melhor sobre a estrutura do negócio virtual e seus desdobramentos, criamos este conteúdo completo. Entre os temas, abordaremos:

  • o que são plataformas de e-commerce;
  • como funciona a implantação;
  • o que é considerado uma boa plataforma de e-commerce;
  • a importância do checkout otimizado para aumentar a taxa de conversão;
  • o papel da plataforma para as estratégias de vendas digitais;
  • como é a integração da plataforma e marketplace;
  • os benefícios dessa integração; e
  • como escolher a plataforma ideal para a sua empresa.

Continue a leitura e saiba tudo sobre o assunto!

O que são plataformas de e-commerce?

O comércio virtual conseguiu quebrar diversas barreiras presentes nas lojas físicas. A necessidade de locomoção, enfrentar longas filas, vendedores insistentes e, na maioria das vezes, não achar aquilo que precisa, definitivamente acabou!

O e-commerce permite que o cliente visite lojas de qualquer lugar do mundo, compare preços e ofertas com facilidade, analise opiniões de outros clientes e ainda compre com condições mais vantajosas.

Então, para o lojista, o ambiente virtual é o coração da sua empresa. É nesse espaço que serão feitas as visualizações dos produtos, comparação com outras marcas e lojas e, claro, as compras! Por isso, é muito importante escolher bem a plataforma de e-commerce em que a sua loja será hospedada.

Fazendo uma analogia bem simples, a plataforma é como a localização de uma loja física, incluindo recursos e demais possibilidades. Se você escolher montar um estabelecimento físico em um lugar remoto, sem muitos recursos, certamente o seu desempenho será prejudicado. No ambiente digital é semelhante, afinal, você cria o seu site a partir das ferramentas e possibilidades oferecidas pela plataforma.

Isso inclui desde o aspecto visual, com templates, passando por pontos de gestão, como análise e acompanhamento dos resultados, até as opções oferecidas ao público, como o processo de checkout.

Algumas opções de plataformas oferecem módulos individuais de funcionalidades. Dessa forma, o empreendedor pode adicionar o que lhe for mais relevante, a partir das suas necessidades e estratégias. Isso é interessante para personalizar o ambiente e torná-lo mais atrativo, funcional e operacional.

Para entender melhor, podemos separar a plataforma em dois aspectos: front end e back end.

Front end

O front end da plataforma é todo o ambiente visível ao usuário. Isso quer dizer que toda a navegação dos clientes é feita no front end. As páginas precisam ser bem planejadas para criar um espaço intuitivo e agradável, em que as pessoas consigam buscar as informações necessárias sem a necessidade de um conhecimento técnico.

Back end

O back end da plataforma de e-commerce corresponde à gestão do negócio. Todo o controle de estoque dos produtos, gestão dos pedidos, organização dos itens na loja, disposição dos banners e imagens, além das confirmações de pagamento, são feitos aqui.

Assim como o front end, é fundamental que o back end seja intuitivo para facilitar a administração da loja virtual. Assim você otimiza o trabalho interno e promove um melhor desempenho de suas equipes, tanto de marketing como de vendas, nas atividades do dia a dia.

Como funciona a implantação?

A implantação de uma plataforma de e-commerce é um processo bem detalhado e precisa ser seguido passo a passo para que tenha sucesso no final. Até pela grande importância que carrega, como já falamos, cada etapa tem uma representatividade nos resultados obtidos da loja virtual.

Então, algumas definições importantes são:

  • estudo do público-alvo e suas características;
  • criação de um layout exclusivo e personalizado de acordo com as necessidades;
  • integração e homologação dos métodos de entrega;
  • integração e homologação das opções de pagamento;
  • treinamento operacional da plataforma;
  • parametrização da plataforma de e-commerce;
  • integração do Google Analytics; e
  • suporte às dúvidas na implantação.

Esse passo a passo é só um exemplo do que precisa ser feito para garantir uma boa implantação, independentemente de qual plataforma for escolhida.

O que é considerado uma boa plataforma de e-commerce?

Agora que você já sabe o que são as plataformas de e-commerce e como é o processo de implantação, mostraremos o que considerar no momento da escolha. Afinal, não adianta optar por qualquer opção sem antes analisar os recursos, ferramentas e se realmente ela atende as necessidades.

Integração com marketplace

O marketplace é um tipo de comércio eletrônico muito interessante e que vem crescendo bastante no Brasil e no mundo. A ideia por trás dessa estratégia é criar um ambiente que oferece produtos de várias marcas. Cria-se um espaço em que o cliente pode encontrar de tudo, podendo ter um segmento focado ou de amplo ataque.

Normalmente, as empresas que trabalham com marketplace são marcas tradicionais e reconhecidas no mercado, tais como as Lojas Americanas, Kalunga, Extra, Mercado Livre, Netshoes e Buscapé.

Outras empresas que vêm crescendo bastante oferecendo um canal de ligação entre um proprietário de um determinado bem e o cliente, tais como Uber e Airbnb, também são consideradas como marketplaces.

Então, no momento de escolher a plataforma para a criação do seu e-commerce, você deve observar se há opção facilitada de integração com os principais marketplaces do mercado. Isso consiste em integrar o estoque, disponibilidade dos produtos, preços e demais informações.

Se tudo isso puder ser atualizado em um mesmo local, mantendo a gestão do e-commerce e do marketplace de forma otimizada, melhor será!

Suporte de qualidade

Não adianta pensar que você fará o processo de implantação da plataforma, começará a operar o seu comércio eletrônico e não precisará de suporte para resolver eventuais erros ou buscar melhorias. Aliás, a otimização do ambiente é muito importante. No dia a dia você encontrará maneiras de melhorar o trabalho e até impulsionar as vendas com mudanças.

No entanto, para que essas alterações sejam possíveis e feitas em um tempo hábil, é preciso contar com um suporte de qualidade. Algumas plataformas até são bem fáceis de atualizar e operar, mas outras podem necessitar de um conhecimento técnico mais avançado.

Por isso, ao avaliar as melhores opções de plataforma de e-commerce, verifique como é o suporte oferecido. É interessante consultar outras empresas que já trabalharam com a plataforma em questão para buscar opiniões de clientes.

Segurança de dados

Um fator preponderante na escolha da plataforma de e-commerce deve sempre ser a segurança que ela oferece, tanto para a empresa gestora, tanto para os clientes. Acontece que o ambiente virtual ainda possui algumas falhas que podem colocar em risco os dados pessoais e bancários. Por isso, investir em segurança é totalmente necessário. Verifique como é a confiabilidade das informações na plataforma, se já houve casos de problemas relacionados a isso e, se há um histórico, como isso foi resolvido.

Se preocupar com a segurança sem pensar na definição de onde o seu negócio virtual será hospedado pode interferir até mesmo nas vendas, uma vez que o seu público pode não confiar em um ambiente que não expressa tranquilidade.

Além dos próprios sistemas que a plataforma gera, também é recomendado contar com outras soluções para evitar fraudes e roubo de dados, como os certificados digitais de segurança.

Otimização de SEO

Um sonho comum de qualquer empreendedor de loja virtual é colocar suas páginas em destaque na busca orgânica, aquela que não é paga. Esse feito permite que um enorme fluxo de visitantes seja gerado no site, e isso impacta diretamente nas vendas.

Vamos pensar no impacto que gera um grande número de visitas na loja. Imagine duas situações: na primeira, seu e-commerce recebe um fluxo de 5 mil pessoas mensais. Para facilitar os cálculos, vamos definir que a taxa de conversão (número de pedidos sobre o número de visitantes) é de 2%. Então, nesse exemplo você teria 100 pedidos.

Agora, imagine que o seu tráfego pulou de 5 mil pessoas para 15 mil. Mantendo a mesma taxa de conversão, o número de pedidos triplicou, claro, passando para 450. Essa conta que fizemos é um pouco óbvia, mas o grande lance está no seguinte: essa diferença de número de visitantes é vista entre o primeiro e o terceiro lugar na busca orgânica!

Os números podem variar um pouco, mas segundo dados do Advanced Web Ranking, a primeira posição dos resultados orgânicos do Google recebe quase 30% dos cliques, enquanto o segundo lugar concentra 14% e o terceiro aproximadamente 10%. Viu como faz muita diferença escalar posições na busca orgânica?

Para isso, novamente a plataforma de e-commerce gera uma grande interferência! Para ganhar posições e destacar a sua empresa no Google e demais buscadores, é preciso otimizar as páginas com as técnicas de SEO.

Entre essas técnicas, podemos destacar as seguintes:

  • utilização correta e estratégica das palavras-chave;
  • uso de link building entre páginas internas e externas;
  • otimização das imagens com preenchimento do campo de texto alternativo e compactação do arquivo;
  • criação de conteúdo otimizado e organizado nas páginas;
  • uso de URLs amigáveis;
  • redução no tempo de carregamento;
  • páginas responsivas;
  • entre outras.

Então, para aplicar algumas dessas técnicas, é necessário observar a facilidade gerada pela plataforma. Algumas delas já vêm com uma preparação para a otimização. Outras permitem que você adicione plugins, que são programas de extensão focados na otimização.

Processo de checkout otimizado

Por fim, uma boa plataforma de e-commerce deve ter um processo de checkout otimizado. Isso é importante para evitar que os potenciais clientes desistam na hora de finalizar os pedidos e realizar o pagamento.

Aliás, segundo dados de uma pesquisa, o abandono de carrinho no e-commerce pode chegar a números impressionantes, em torno de 83%! Para combater isso e aumentar as vendas, é preciso analisar as principais causas. Algumas delas são:

  • custos extras ao pedido relativos ao frete, impostos e outros não mostrados nos primeiros passos do pedido;
  • necessidade de criar uma conta / cadastro para finalizar a compra;
  • processo de checkout muito longo ou complexo;
  • dificuldade em calcular o valor total do pedido antes do fechamento;
  • erros do site;
  • falta de confiança do cliente para disponibilizar os dados bancários na loja virtual;
  • prazo de entrega do produto bastante demorado;
  • política de retorno e devolução insatisfatória;
  • falta de opções de métodos de pagamento;
  • cartão de crédito não aceito.

Então, analisando as causas de abandono do carrinho listadas acima, vemos que muitas delas estão diretamente relacionadas com a plataforma, como a falta de segurança dos dados, falta de opções de pagamento, erros durante a navegação, necessidade de criação de conta e processo de checkout longo ou complexo.

No momento da escolha da plataforma, faça uma simulação em um site que já utiliza a opção e analise todo o processo de compra. Verifique quantas etapas são necessárias até a conclusão, se todas as informações relevantes estão acessíveis, a quantidade de dados requisitados e a complexidade de todo o processo, incluindo o tempo para isso.

Qual é a importância do checkout otimizado para aumentar a taxa de conversão?

No tópico anterior nós falamos sobre o abandono de carrinho e a necessidade de contar com um processo de checkout otimizado. Agora, vamos falar um pouco sobre como isso impacta diretamente na taxa de conversão.

Essa taxa é um dos indicadores de desempenho mais importantes do negócio, visto que ela relaciona o tráfego gerado no site com o número de pedidos concluídos.

Sendo assim, é necessário sempre buscar maneiras inteligentes de aumentar a conversão no e-commerce, e uma das formas é otimizar o checkout. Essa ação inclui apresentar todas as informações relevantes com clareza e transparência ao usuário, criando um resumo do pedido, com os valores envolvidos.

Além disso, é importante que o cliente tenha certeza que seus dados estão protegidos, além de boas opções para pagamento, como cartão de crédito, débito, boleto ou até mesmo transferência bancária.

Outro ponto importante é investir no checkout transparente que consiste em permitir que o usuário faça toda a operação de finalização do pedido sem ser transferido para uma outra página, fora do ambiente em que ele fez a compra. Isso ajuda a criar uma maior sensação de segurança.

Não podemos nos esquecer do login social. Esse recurso permite que uma pessoa utilize os dados já cadastrados em uma rede social para efetuar a compra. Assim, evita o cadastro.

Essas ações são importantes para otimizar o checkout. Elas conseguem aumentar a taxa de conversão significativamente, elevando os lucros do negócio.

Qual é o papel da plataforma para as estratégias de vendas digitais?

Nos tópicos anteriores nós vimos a grande importância da escolha da plataforma de e-commerce. Agora, vamos pensar na influência dela diretamente nas estratégias de vendas da empresa.

Para começar, precisamos ter clareza de que não adianta investir em boas ações de marketing para atração do público se, ao chegar no e-commerce, as pessoas encontram um ambiente totalmente desorganizado, de difícil acesso e navegação. Logo, só atrair as pessoas não basta!

A plataforma será a base de toda a criação do ambiente digital. Por isso, ela impacta diretamente em qualquer resultado das vendas. O checkout, as opções de pagamento e até mesmo o design das páginas influenciam no desempenho.

Analisando a opção de integrar o seu e-commerce em um marketplace, essa estratégia aumenta bastante a visibilidade dos seus produtos, uma vez que esses sites de destino já têm um marca consolidada e bastante conhecida.

Como é a integração da plataforma e marketplace?

Temos certeza que agora você já tem um bom conhecimento sobre a plataforma de e-commerce e sua importância para atingir os objetivos. Agora, mostraremos como é o passo a passo para a integração com o marketplace. Vamos lá!

Escolha o marketplace que deseja integrar

No mercado existem diversos marketplaces, como Americanas, Mercado Livre, Submarino e outros. Então, você deve escolher muito bem qual se encaixa melhor no seu nicho de mercado. Analise o público de cada opção, conheça os produtos associados aos que você deseja vender que já estão presentes e as marcas.

Essa análise é importante pois, quando um visitante fizer uma busca, ele verá os seus itens ao lado de outros da concorrência.

Entre em contato com o canal

Depois que escolher em quais marketplaces deseja atuar, entre em contato com eles e demonstre o interesse. As duas partes devem firmar um contrato, em que todas as negociações serão colocadas no papel.

Cadastre os produtos

Depois que forem escolhidos os marketplaces para receber os itens, chega o momento de cadastrar os produtos. Essa etapa merece muita atenção para garantir que todas as informações estão corretas, com fotos e descrição completa.

Estruture o controle de estoque

Uma requisição de qualquer marketplace é que a empresa fornecedora mantenha o controle de estoque. Normalmente, o dono da plataforma cuida da publicidade, todo o processo de pagamento e a geração do pedido. A compra é enviada ao fornecedor, para que ele envie o produto diretamente para o cliente. Esse é o modelo mais adotado.

Manter corretos os números de estoque é fundamental para que não seja vendido aquilo que não está em posse do fornecedor. O contrário também vale, afinal, se você tiver itens em estoque, mas no marketplace a informação é que não há quantidade disponível, a venda não acontecerá.

Crie a estratégia de precificação dos itens

Por último, não podemos nos esquecer da precificação dos produtos. É importante lembrar que cada marketplace cobra uma taxa no momento da venda dos produtos. Então, esse valor deve ser levado em conta no cálculo dos preços e na margem de lucro.

Quais são os benefícios dessa integração?

O marketplace é uma grande solução para agradar as empresas e também o público. Por isso, vamos analisar os principais benefícios em integrar o e-commerce com essa opção!

Melhor experiência ao usuário

Imagine que você gosta de acampar. Para isso, precisa comprar diferentes produtos, tais como uma barraca, garrafa térmica, roupas de frio e um kit de primeiros socorros. Seria muito incômodo ter que comprar cada um desses produtos em uma loja virtual diferente, não é mesmo? Então, a ideia do marketplace é justamente unir todas as necessidades em um lugar só!

Você entra no marketplace e encontra diferentes departamentos. Dentro de um deles, vários produtos, de diferentes marcas, que você pode adicionar ao carrinho e concluir a compra em um processo só. A experiência gerada ao cliente é muito melhor e agradável.

Análise de indicadores e resultados

Qualquer estratégia online precisa ser acompanhada de perto. Indicadores de desempenho devem ajudar os gestores a identificar como o negócio está desempenhando, as estratégias mais eficientes e o que precisa ser alterado.

Integrando o e-commerce com o marketplace isso é totalmente possível. Você pode criar indicadores para buscar melhores informações e otimizar os recursos e investimentos.

Redução de custos

Uma dificuldade para vender os produtos, principalmente para empresas iniciantes e de pequeno porte, com orçamento limitado, é competir com grandes marcas. A internet tem várias estratégias pagas e se você não faz um bom investimento, bem planejado, pode não conseguir superar essa concorrência.

Então, um grande benefício é conseguir vender em um grande canal de exposição, sem a necessidade de contar com alto investimento e ainda ter uma margem de lucro legal. Grande parte dos custos fica com o operador do marketplace.

Como escolher a plataforma ideal para a sua empresa?

Agora, depois de toda essa explicação e conhecimento, a pergunta que fica é: qual é a plataforma de e-commerce ideal para a empresa? Existem diversas opções, cada uma carrega características e diferenciais. Para escolher, é preciso seguir todas as nossas recomendações.

Avalie os pontos necessários para que uma plataforma seja considerada boa, como a segurança dos dados, suporte e integração com o marketplace. Avalie algumas lojas que utilizam a opção que você busca. Observe as funcionalidades, a experiência de navegação gerada e o processo de finalização do pedido.

Se puder, converse com gestores de e-commerce e pergunte sobre as plataformas usadas. Busque informações sobre o back end, aquilo que está por trás da loja virtual. Seguindo essas dicas, certamente você fará uma boa escolha de plataforma de e-commerce para o seu negócio e poderá usufruir de bons resultados!

E então, gostou do nosso conteúdo sobre a plataforma de e-commerce e a integração com marketplace? Assine a nossa newsletter e receba materiais como este diretamente no seu e-mail. Não perca nenhuma novidade!